A+  A-  |  voltar

Pé Plano do Adulto


A Disfunção do Tendão Tibial Posterior

 

Uma das causas mais comuns de um pé plano no adulto é a disfunção do tendão tibial posterior.

Essa alteração, também chamada de pé plano do adulto ou síndrome do tibial posterior, ainda gera muitas discussões e controvérsias médicas em relação a sua causa, evolução e métodos de tratamento. Existem diversas teorias que tentam compreender, classificar e tratar essa patologia. Por essa razão, cada paciente deve ser analisado individualmente, identificando as deformidades presentes e as alterações estruturais do pé que compõe essa síndrome.

Os primeiros relatos e descrições medicas sobre o processo inflamatório e degenerativo do tendão tibial posterior surgiram a partir da década de 30 e os primeiros procedimentos cirúrgicos foram instituídos a partir da década de 50. As primeiras indicações cirúrgicas foram baseadas em um processo inflamatório crônico (tendinose) do tibial posterior sem melhora com tratamento clínico, e constituía somente na realização do desbridamento do tendão degenerado e limpeza do tecido inflamatório.

A partir da década de 70 os estudos correlacionaram a inflamação e degeneração do tendão posterior com a perda do suporte do arco medial e a deformidade progressiva em pronação (pé plano ou pé chato progressivo).

Nos anos 80 e 90 foram publicados diversos estudos de biomecânica e teorias sobre a etiologia (causas) da disfunção do tendão tibial posterior. Classificações em graus e variações de técnicas cirúrgicas foram propostas a fim de organizar o entendimento e o tratamento de acordo com a progressão do processo degenerativo do tendão e da deformidade adquirida.

 

Anatomia:

O tendão tibial posterior se origina junto ao músculo de mesmo nome (músculo tibial posterior) no compartimento posterior da perna, profundamente aos músculos da panturrilha (sóleo e gastrocnêmios). Seu trajeto percorre em direção ao pé, passando por detrás da protuberância interna do tornozelo (maléolo medial) e se inserindo em formato de leque na face interna e plantar do mediopé, principalmente na protuberância medial do osso navicular.