A+  A-  |  voltar

Metatarsalgia


A dor plantar na frente do pé é chamada de dor metatarsal ou metatarsalgia. É uma das queixas mais frequentes do homem moderno. A pavimentação do terreno, o uso de calçados das mais variadas formas, a prática esportiva e muitas outras mudanças evolutivas, criaram uma gama de fatores que favorecem a ocorrência dessas lesões, causam deformidades e dor no pé humano.         

Existem inúmeras causas para que ocorra a metatarsalgia, por isso é importante a avaliação de um especialista para definir melhor os fatores que estão envolvidos nessas lesões, uma vez que os tratamentos podem variar e terem uma abordagem completamente diferente.

 

Metatarsalgia:

Metatarsalgia é a dor localizada ou generalizada na região plantar e frontal do pé, sob as cabeças metatarsais. Ela está intimamente relacionada com os calos e as calosidades plantares na região frontal e apresentam-se frequentemente em conjunto, causando dor e desconforto para o paciente.

 

 

Ela pode ser classificada como metatarsalgia primária, de origem funcional ou postural, ou metatarsalgia secundária, de origem metabólica, neurológica, traumática ou iatrogênica.

 

Metatarsalgia Primária:

 

São condições de origem funcional ou postural que alteram a anatomia básica dos metatarsos, suas relações entre si e entre os demais ossos do pé.

 

 

A principal causa de metatarsalgia primária envolve a diferença entre o tamanho dos metatarsos, principalmente quando o 2º e/ou o 3º metatarsos são mais longos que o 1º e, sendo assim, mais suscetíveis ao aumento localizado da pressão plantar.

 

 

O padrão mais comumente encontrado na população, cerca de 60%, é onde o 2º metatarso é maior que os demais metatarsos.

A segunda causa mais comum de metatarsalgia primária é o deslocamento plantar, ou flexão plantar, de um ou mais metatarsos. Isso altera a distribuição de carga e imprime uma pressão localizada na cabeça metatarsal fletida, resultando em calosidades de tamanhos variados na região plantar do antepé. A flexão plantar metatarsal é comumente observada nas deformidades em garra de um ou mais dedos, que, pela alteração anatômica e desequilíbrio das forças tendíneas, empurra a cabeça metatarsal em direção ao solo.

 

 

Outra causa são as alterações posturais congênitas do pé, como o pé cavo e o pé equino, que produzem uma sobrecarga mecânica metatarsal generalizada.

A deformidade em pé cavo acarreta a diminuição da superfície de apoio, resultando em uma área de hiperpressão plantar.

O pé equino, no entanto, promove este aumento de pressão pela contratura muscular do tríceps sural, que acarreta a flexão forçada do antepé em direção ao solo.

 

 

Pode ainda ocorrer metatarsalgia primária por deformidades congênitas da própria cabeça ou dos côndilos metatarsais. Uma cabeça com malformação, alargada ou um côndilo mais protuberante pode ocasionar dor e calosidade no aspecto plantar.    

Ainda é importante enfatizar que, juntamente com as causas de metatarsalgia primária, o aumento da pressão sob as cabeças metatarsais é excessivamente intensificado com as atividades físicas de impacto e com o uso de calçados com solado fino e/ou salto alto.

 

Metatarsalgia Secundária:

 

A dor metatarsal secundária é causada por diversas condições clínicas que, indiretamente, provocam alguma deformidade, geram sobrecarga mecânica ou processos inflamatórios na região frontal do pé. Entretanto, a metatarsalgia secundária nem sempre está associada com a formação de calos ou calosidades plantares.

Doenças inflamatórias, como a artrite reumatoide, artrite psoriática e gota, podem causar sinovites e bursites crônicas que degeneram a cápsula articular e deformam os dedos. Essa deformidade provoca o deslocamento anterior do coxim de gordura plantar e desprotege as cabeças metatarsais do impacto com o solo. Além disso, a própria doença inflamatória pode causar atrofia da gordura plantar, diminuindo sua espessura.

 

 

Doenças neurológicas compressivas, como o Neuroma de Morton (tumoração benigna do nervo digital plantar) e a síndrome do túnel do tarso (compressão do nervo tibial), podem ocasionar dor e parestesia na região plantar metatarsal.

 

A necrose avascular da cabeça metatarsal, Doença de Freiberg, é uma doença circulatória local que deforma a articulação metatarsofalângica e ocasiona dor e perda do movimento. Mais frequentemente acomete a cabeça do 2º metatarso.

 

 

Sequelas de fraturas dos metatarsos, como o mal alinhamento dos fragmentos, o encurtamento metatarsal, a elevação ou a flexão plantar das cabeças, criam pontos de hiperpressão e causam alterações na distribuição da carga plantar.

A metatarsalgia iatrogênica ocorre mais comumente após procedimentos cirúrgicos que envolvem osteotomias. Correções com mal alinhamento, ressecções ósseas exageradas ou inapropriadas e a não consolidação do corte ósseo podem causar deformidades, perda do movimento articular e dor metatarsal. Também podem originar calos ou calosidades, frequentemente observados após cirurgias que alteram a fórmula metatarsal e deslocam os pontos de apoio de um metatarso para o metatarso vizinho, ocasionando a chamada metatarsalgia de transferência.

 


Consultório Porto Alegre


(51) 3737.2003

Celular & WhatsApp : (51) 99574.5500

Internet : Agendamento Online 

R. Ramiro Barcelos, 630 / Sala 506

Cep: 90035-001 

Floresta - Porto Alegre - RS

Obs.: Estacionamento no local



Consultório São Paulo


(11) 3287.3552 / 3284.3852

R. Teixeira da Silva, 34 / Sala 73

Cep: 04002-030

Paraíso - São Paulo - SP

Obs.: Estacionamento no local